POMBAL

POMBAL
BANDEIRA DA CIDADE DE POMBAL

POMBAL

POMBAL
VISTA A PARTIR DO CASTELO DE POMBAL DO LADO NOROESTE DA CIADE.

UM POUCO DA MINHA TERRA

UM POUCO DA MINHA TERRA
Vista da parte Oeste da cidade com a Zona Industrial ao fundo

UM POUCO DA MINHA TERRA - (POMBAL)

UM POUCO DA MINHA TERRA  - (POMBAL)
Vista aérea da parte Sul de Pombal.

UM POUCO DA MINHA TERRA. (POMBAL)

UM POUCO DA MINHA TERRA. (POMBAL)
Vista aérea da parte centro-este de Pombal

UM POUCO DA MINHA TERRA. (Pombal)

UM POUCO DA MINHA  TERRA. (Pombal)
Museu Marquês de Pombal (Antiga Cadeia)

UM POUCO DA MINHA TERRA (POMBAL)

UM POUCO DA MINHA TERRA (POMBAL)
Pombal shopping

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

NOVO RUMO



(foto google)

NOVO RUMO


O  vento dorme, o mar e as ondas jazem,
De novo o sol e a aurora trazem,
Novos caminhos, um novo rumo,
Um coração aberto, a este novo mundo,
Outrora quase perdi, esta força humana,
Que me atraiçoa e de novo engana,
As lágrimas que em vão, caídas vejo,
Sendo tu, todo este meu desejo,
Essa ferida, que atingiu este meu peito duro,
Este céu que chorou, e se fez escuro,
Noite linda, aquela prometida,
De longe corri como doido, para a despedida,
D'esse corpo e d'esses olhos belos,
Beijando-te a face e os cabelos,
Estendes-me os braços, nesse gesto lindo,
Meu corpo te entreguei, nunca de ti desistindo,
Toda esta mágoa, meu coração apertava,
Desejando, ter nos braços, quem amava,
Sendo meu amor por ti, um oceano,
Como pude merecer, tamanho desengano !
Grande era também, esta minha cegueira,
Mas para te esquecer, buscarei maneira,
Se minha simples presença, não te agrada,
Como se fosse, pedra, nuvem, sonho ou nada,
A Deus peço, para esquecer esta ilusão criada,
Bebendo lágrimas como água salgada,
Do que esperava, já desesperado,
Acabo perdido, desiludido  e cansado,
Tomando novo rumo e dizendo-te...
........................................Adeus.


Norberto Marques