POMBAL

POMBAL
BANDEIRA DA CIDADE DE POMBAL

POMBAL

POMBAL
VISTA A PARTIR DO CASTELO DE POMBAL DO LADO NOROESTE DA CIADE.

UM POUCO DA MINHA TERRA

UM POUCO DA MINHA TERRA
Vista da parte Oeste da cidade com a Zona Industrial ao fundo

UM POUCO DA MINHA TERRA - (POMBAL)

UM POUCO DA MINHA TERRA  - (POMBAL)
Vista aérea da parte Sul de Pombal.

UM POUCO DA MINHA TERRA. (POMBAL)

UM POUCO DA MINHA TERRA. (POMBAL)
Vista aérea da parte centro-este de Pombal

UM POUCO DA MINHA TERRA. (Pombal)

UM POUCO DA MINHA  TERRA. (Pombal)
Museu Marquês de Pombal (Antiga Cadeia)

UM POUCO DA MINHA TERRA (POMBAL)

UM POUCO DA MINHA TERRA (POMBAL)
Pombal shopping

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

29/3....



29/3...

Eis, que subitamente apareceste,
Sendo sol, que entrou na minha vida,
Teus raios iluminaram meu peito,
Transformando-se numa paixão desmedida,
Além disso, tudo o que enfim me obriga,
Em nada acreditas, por mais que diga,
Tanto, tanto, ficou por dizer,
E tu, nem esse tanto desejaste saber,
Por ti, bate este coração desatinado,
Triste e amargurado, quase desamparado,
Que tanto dói e aos poucos  me destrói,
Sinto-me uma presa, sem guarida nem defesa,
Mantendo uma réstia de chama ainda acesa,
Que ilumina toda esta paz, toda esta guerra,
Toda esta paixão, que este meu peito encerra,
Por tantas tristezas,  este pobre coração passou,
Tudo o que hoje choro, outrora me alegrou,
Eu, que o teu amor rogava e implorava,
Por vezes iludido, quase o celebrava,
Mas tristemente, logo descobria,
Que além de mim, ninguém mais viria,
E nesta estranha e longa espera,
Revivia tudo, o que um dia te dissera,
Despertando-me, a razão era uma constante,
Determinado o coração, esta paixão levaria avante,
Todo este enleio, me atormentava e dividia,
Mas sempre, com a esperança de que certo dia,
Esse amor renasceria e dócilmente aceitar-me-ia,
Tal não aconteceu, e esse teu amor por mim morreu,
Já desesperado e tentando ainda sentir uma maior confiança,
Aos poucos, ia também morrendo a tal esperança,
De um dia, poder ter-te e contra  meu peito abraçar-te,
De ver-te, olhar-te e amar-te,
Terrível engano, concluí negro dia,
E na tua ausência, foi assim morrendo minha alegria,
Todo o amor, que um dia eu te manifestava,
Meu coração de alegria em meu peito rebentava,
Gostaria eu, nesse mar de amor aventurar-me,
E no mais profundo momento de prazer, entregar-me........a ti !

Norberto Marques

22 comentários:

Graça Pereira disse...

O amor quando é verdadeiro...é assim, avassalador como uma tempestade que tudo arrasta, levando sonhos, desejos e até a alegria...mas, quando os ventos amainarem, surgirá o sol da calmaria...noutra praia...quem sabe na mesma...mas o amor voltará a ser uma certeza na tua vida.
Quem sente,quem escreve, quem canta assim tão maravilhosamente o amor, há-de, por certo cativar um outro coração que há muito te está guardado e que ainda não o conheces.
As brumas da manhã..dissipar-se-ão...
Um beijo
Graça

Norberto Marques disse...

É verdade Gracita, eu que pensava que esta tempestade já tinha passado, vejo que continuo a ser arrastado sem ver nada á minha volta onde me agarrar...curiosamente as "BRUMAS" aqui por este lado voltaram a ficar um pouco cerradas, mas tal como tu dizes, "surgirá o sol da calmaria...noutra praia"...Gostei da força !!! até lá, vamos chutando a vida para a frente.
Um beijito para ti e um abraço para o Nuno.

Norberto

Malu disse...

"Quem ama nunca sente medo
De contar o seu segredo
Sinônimo de amor é amar"
(Zé Ramalho)

Que declaração mais sentida, meu amigo.
Que revelações!
Uma pena este amor tão lindo ter-te trazido tristezas.
Beijos em teu coração e que o sol de amanhã traga-te um brilho especial

Norberto Marques disse...

Olá Malu :)

Este amor, tem-me entristecido de alguma forma, mas também já me ofereceu momentos maravilhosos e inesquecíveis. Tal como a vida, o amor também é uma batalha, tanto se ganha como se perde, neste caso acho que perdi :(

Beijinho grande

Norberto

Francisco Vieira disse...

Oh Pombo, valeu a pena a espera!
Grande poema! Se por momentos senti algum remorso de te andar a picar o miolo para que escrevesses, agora estou aqui todo "inchado" eh eh eh

Quando sai o proximo?! :-)

Abracos

ellen disse...

Lindo Norberto!!! mas ainda há tanta nostalgia no ar???

Beijinho para si

Norberto Marques disse...

Olá Padrinho :)
Bem vindo de novo ao "clube", espero que essas férias se tenham passado bem...
Por vezes, uns puxões de orelhas fazem bem, para nos despertar para a vida, LOL LOL
Não fiques muito "inchado" rapaz, ainda podes rebentar, ah ah ah ah ah
Também já vi que tens novidades no teu blog... já lá vou passar !!
Fica bem...
Abraço gr >>>>>><<<<<< Norberto

Norberto Marques disse...

É verdade Hellen, confesso que já houve menos nostalgia no ar, mas no amor e na saudade há destas coisas, ora estamos bem , ora nem por isso, LOL LOL.... vai-se levando a vida com calma, para não tropeçar, nem voltar a cair.
Beijinho

Norberto

ONG ALERTA disse...

Os olhos não mentem são o reflexo de nosso coração, pura sabedoria.

Norberto Marques disse...

Muito verdade o que você disse, Lisette....os olhos são na verdade o espelho da alma.

Beijito

Norberto

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Paixão heim... sortuda a moça, e burra por te deixar solto. Òtims semana procê.

Norberto Marques disse...

Sim Wall, paixão :)

A vida é assim, feita de encontros e desencontros...

Beijinho

Norberto

Rosan disse...

Oi Norberto.
que saudade destes teus poemas!!!
mesmo que denotem aquela saudade, sentida do amor que foi e ainda não voltou, e desculpa te dizer derepente nem volte, sei por experiencia propria...
mas sei tembém que passa e não doi mais...mesmo vendo sempre a pessoa não doi mais.
o coração vai serenando e vais ver tudo com carinho, fica uma saudade boa..sem dor.

mas o que me alegrou foi ver teu lindo poema.
mesmo com tristeza contida é lindo
e que venha a inspiração...

beijo de luz

Norberto Marques disse...

Rosan, é difícil não querer voltar, quando se gosta imenso de alguém... acredito que depois de passado algum tempo, o coração fique mais sereno, mas o sentimento não desaparece facilmente...quem me dera puder dizer, "passou e não dói mais"....Vou fazendo uns poemas, pode ser que ajude a passar, LOL LOL

Beijinho grande

Norberto

Malu disse...

Olá,meu querido!
Tem selinho de Natal para ti, lá no Infinito.
Beijinhosssss

Norberto Marques disse...

Oi Malu :)

Obrigado por te lembrares de mim... Já passo lá para ir buscar :)

Beijinho

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Tal como poema de hino à alegria que acabo de ler a seguir a este, também aqui te manifestas intenso e profundo, embora noutro registo.

Gosto deste registo, não de lamúria mas de algo nostalgico, desencantado mas igualmente promissor, como quem vê na aurora ainda que chuventa, a esperança de um dia cheio de Sol.

Lindíssimo, Norberto.

Um enorme abraço

Z.A. Feitosa disse...

As vezes, leio poemas com os quais me identifico tanto, que até gostaria de tê-los escritos. Os versos da canção de Milton Nascimento dizem bem da emoção que alcançou minha alma, ao comungar da beleza de sua poesia. "Certas canções que ouço, cabem tão dentro de mim, que perguntar carece: como não fui eu que fiz?"
Os poemas de sua lavra são borboletas de asas queimadas, que tecem novos e belos matizes no cinza dos casulos. Saudações e bênçãos do Brasil. Z.A. Feitosa - www.feitosa.net

punkoria disse...

Para mim é o mais lindo de todos!
Não é que eu não goste de histórias felizes, mas a desilusão é algo tão permanente na minha vida...
Identifico-me, chega a mim...

Norberto Marques disse...

Olá Daniel :)

Temos que tentar sempre alcançar esse dia de sol, para que tudo volte a brilhar de novo.

Abraço

Norberto

Norberto Marques disse...

Amigo Feitosa, obrigado pelos bonitos elogios :)
Tudo isto é resultado de muito amor e muita saudade.

Abraço deste lado do oceano :)

Norberto

Norberto Marques disse...

Então "Bébé", tão nova e já tão desiludida ???????????
Quando menos esperares, a felicidade já está na tua vida, LOL LOL

Jokas

Norberto